A Óleo e Gás Participações é uma empresa brasileira que atua na exploração e produção de óleo e gás natural. A OGPar, sucessora da OGX, encontra-se em Recuperação Judicial, processo que resultará em uma reestruturação financeira que permitirá a continuidade de suas atividades, além da execução de novos projetos. O plano de Recuperação Judicial foi aprovado em Assembleia Geral de Credores no dia 03 de junho de 2014.

A produção de petróleo foi iniciada em janeiro de 2012 na Bacia de Campos, no campo de Tubarão Azul (acumulação de Waimea). Hoje, a companhia produz óleo também no campo de Tubarão Martelo (acumulação denominada Waikiki), localizado na Bacia de Campos. O início da produção no campo de Tubarão Martelo ocorreu em dezembro de 2013, com a conexão do poço TBMT - 8HP. O segundo poço, o OGX-44 HP, foi conectado no dia 9 de dezembro. No primeiro mês de produção, a OGpar atingiu 330 mil boe. A produção no campo está sendo realizada através do FPSO OSX-3 e no ano de 2016 chegou a marca de 9,4 milhões de barris de óleo produzidos.

Conforme Acordo de Subscrição divulgado ao mercado em 28 de Março de 2016 por meio de fato relevante, a OGX subscreveu 14.875.412 ações da Eneva. Em contrapartida, a OGX transferiu para a Eneva 95% da participação que detinha no capital social da Parnaíba Gás Natural S.A. ("PGN"). No dia 03 de Outubro de 2016 o Conselho de Administração da Eneva homologou o aumento de capital da Eneva S.A.. Sendo assim, a OGX passou a deter 6,22% do total de emissões de ações da Eneva S.A..

Atualmente, a OGPar e OGX tem praticado melhores esforços para preservar o valor das garantias aos credores e cumprir todos as exigências de seus Planos de Recuperação Judicial. Ademais, as Companhias tem adotado medidas agressivas para se adaptar ao cenário adverso dos preços de petróleo focando na execução e na produção e ao mesmo tempo reduzindo os custos.